sábado, 5 de dezembro de 2009

João de Barro (Braguinha) - Serie Documento - 1972



Vamos animar um pouquinho?

Carlos Alberto Ferreira Braga, músico, compositor e empresário, Braguinha também é conhecido como João de Barro, pseudônimo que adotou quando integrou o Bando dos Tangarás, ao lado de Noel Rosa, Alvinho e Almirante. Nesse grupo, todos tinham nomes de passarinho. ou mais carinhosamente, o Braguinha, nasceu em 29 de março de 1907, carioca nato.

Braguinha, é uma das figuras de vida e arte mais longas da história da música popular brasileira. Com mais de 400 criações (aí incluídas suas versões para canções estrangeiras), João de Barro assina uma das maiores obras já produzidas por um compositor nacional, se especializou em marchas carnavalescas que fizeram enorme sucesso até perto do final dos anos 50. Alguns de seus clássicos nesse gênero chegaram a obter projeção internacional, como "Touradas em Madri" e "Chiquita Bacana" (além do samba-canção "Copacabana").

Diferentemente do samba carnavalesco, uma criação tipicamente negra saída das classes humildes da população do Rio de Janeiro, a marchinha foi inventada e desenvolvida por compositores da classe média carioca.

Braguinha também é o autor de Tem Gato na Tuba, canção de 1948 que, na década de 80, a Simony gravou no primeiro disco da Turma do Balão Mágico! E quem não conhece Carinhoso, parceria de João de Barro e Pixinguinha? É aquela canção da propraganda d'o iogurte do coração'. Lembrou?
João de Barro também trabalhou na dublagem do filme Branca de Neve e os Sete Anões, de Walt Disney, o primeiro desenho animado em longa metragem da história do cinema. Foi em 1938. A cantora Dalva de Oliveira deu voz à Branca de Neve e Carlos Galhardo ao príncipe. Depois vieram as versões brasileiras de Pinóquio (1940), Dumbo (1941), Bambi (1942), etc.
As narrativas do João de Barro

Certamente, os filmes de Disney deram a Braguinha inspiração e asas para um projeto de histórias e canções para crianças no início dos anos 40, época em que era o diretor artístico da gravadora Continental (CBS). Nasciam os primeiros álbuns da coleção Disquinho, com fábulas e contos em diálogos rimados e breves canções. Produção sofisticada, em fins da década de 1970, os disquinhos de vinil colorido alcançaram a cifra de 5 milhões de cópias vendidas em sua longa existência. E o motivo de alegria para muitos é que a coleção está sendo relançada em CD pela Warner/Continental: a primeira remessa chega com 25 títulos, mas a gravadora promete trazer todos os títulos de volta.
É mais um artista perfeito que nosso país nao irá esquecer...

Saravá!!!
Daniel de Mello e a Música da Minha Gente


Um comentário:

Cássio Queirós disse...

Belíssima homenagem ao genial João de Barro/Braguinha e ainda por cima com este belo upload: o LP "Série Documento - João de Barro(Braguinha) 1972".O que se pode dizer mais? Um muito obrigado e parabéns pelo post Daniel. Como se diz em inglês: Bullseye!