segunda-feira, 29 de outubro de 2007

Luis Vagner - Guitarreiro - 1976



Nascido em 20 de Abril de 1948 de mãe india (Sulema Lopes) e pai telegrafista/maestro (Vicente Lopes), e ainda neto de flautista, o futuro instrumentista e compositor de Bagé (RS) assimilou em sua infância notas de jazz orquestral, sambas, choros e gêneros locais. Com nove anos de idade ganhou um concurso dançando rock-and-roll e já incursionava pela bateria de Limão, instrumentista da orquestra de seu pai. No primeiro violão descobriu os três acordes necessários para cantar músicas de seus ídolos, Little Richard, Bill Halley e Chuck Berry.Em 1962, em Porto Alegre, Luis Vagner montou com os amigos Luis Ernani, Waldir Jack's e Edson da Rosa, o grupo The Jetsons, que estreou no programa de calouros do Ivan Castro na TV Gaúcha Canal 12 e virou presença constante em programas como Parque infantil, também do Canal 12, Juventude em brasa e Q Sucessos, ambos da TV Piratini. A banda passa a se chamar Os Brasas. Em 1966, o grupo migra para São Paulo, onde a partir de 1967 gravam vários compactos. Os Brasas lançam em 1968 seu único LP e quando o grupo se desfaz (1969), Luis Vagner começa a carreira solo, lançando um compacto com as autorais "Viagem para o Sul" e "Moro no fim da rua" (com Tom Gomes), esta gravada também por Wilson Simonal e Trio Esperança (homônimo, Odeon, 1971).Junto com o seu parceiro, Bedeu, com quem compôs vários sucessos.No ano em que gravou seu primeiro LP-solo, o samba-roqueiro Simples (Chantecler), Paulo Diniz gravou sua composição "Como?" (Paulo Diniz, Odeon, 1974). Em 1975, Luis Vagner lançou Coisas e louzas, novamente pela Chantecler, e segue fornecendo novos elementos sonoros com um disco intitulado Guitarreiro (Copacabana, 1976), inteiramente autoral, que trafegou em ritmos variados, do samba e guarânia à chula, pincelados pelo reggae e pelo rock. Destacam-se a faixa-título (referência ao seu apelido, "Gaúcho Guitarreiro"), "Lá no Partenon" e "Queres o que ô?". Em 1978, sua canção "Guria" foi incluída na novela Dancin Days, da TV Globo. Essa mesma faixa fecharia o LP Fusão das raças (Philips, 1979), que ainda traria "Rockeira" e "Neguinha boa (A boa e o trouxa)".Em 1982 defendeu, no festival MPB Shell, "Crioulo glorificado", composição de Jorge Ben, que no ano anterior havia homenageado o músico que integrava a Banda do Zé Pretinho com a canção "Luis Vagner Guitarreiro", registrada em Bem vinda amizade (Som Livre)."Crioulo glorificado" ganharia gravação de Luis Vagner em Pelo amor do povo novo (Copacabana, 1982). A sua veia reggae circularia pelo Festival dos Festivais em 1985, quando defendeu "Não nega", faixa de abertura de seu disco lançado em 1986, O som da negadinha - Ao vivo (Copacabana). Este LP, ao lado de Conscientização (Copacabana, 1988), é o que melhor radiografa o envolvimento do gaúcho com a herança de Bob Marley e Peter Tosh.Decepcionado com a realidade do mercado fonográfico, embarca em 1989 para a França e participa de festivais (como os franceses "Jazz à Vienne", Méridien Montparnasse e Festival de Vaux Sur Seine, e o africano Festival d''''Abidjan), e ainda grava um disco (Cilada, Phoenix, 1990). Retorna ao Brasil em 1992, quando articula seu próximo álbum (Vai dizer que não me viu... , Daaz Music, 1995).Junto de Hélio Matheus Depois disso, o músico se distancia do mercado, e só volta a lançar em 2001. Swingante focaliza no toque da guitarra o principal guia para tentar apresentar as interseções negras de Little Richard e Chuck Berry com o conterrâneo Lupicínio Rodrigues e com Luiz Gonzaga.Projeto pessoal em que estava debruçado há anos, o CD de ares reggae Brasil afro sulrealista nasceu com a intenção de mostrar a veia negra do Sul do Brasil. Em 2003, teve o CD Simples relançado dentro do projeto Arquivos Warner, selecionado por Charles Gavin, baterista do Titãs. Com mais de 300 composições gravadas, o Gaúcho Guitarreiro coleciona sucessos como - "Camisa 10" (Luis Américo), - "Espelho mágico" (Sílvio Brito), -"Silvia, vinte horas, domingo" (com Tom Gomes, por Ronnie Von), - "Vou pular neste carnaval" (Eliana Pittman), - "Se quiser chorar por mim" (Wando) e "Segura a nêga" (Bebeto).

Curiosidades

-40 anos de carreira mais de 300 composições gravadas.
-A música "Como?" vendeu mais de 5 Milhões de cópias, entre várias regravações o Albúm de Paulo Diniz aonde esta gravado "Como?" vende até hoje 60 mil cópias por ano, há mais de vinte anos.
-Foi Baixista da Banda do Zé Pretinho, e reza a lenda que roubava a cena.
-Ganhou uma guitarra Fender Stratocaster do Odair José (sim! o autor de "Pare de tomar a pilula"!) que ficou encantado quando viu o Vagner tocando, Na época ele usava uma guitarra caseira. Foi sua guitarra favorita até um roadie esquece-la ela num táxi, em Porto Alegre.
-Foi então que ele ganhou uma Ibanez Les Paul do Jorge Ben, que ele tem até hoje.
-Morou nos anos 70 no Solar da Fossa, Rio de Janeiro, condomínio aonde moravam vários artistas. Foi lá que conheceu e conviveu com Tim Maia, Hildon, Cassiano, Paulo Diniz, MPB4, Gal Costa, Darlene Glória entre outros. Na época da Jovem Guarda, quando estavam em turnê em Porto Alegre, Erasmo Carlos e Vanderléia subiram o morro (Parthenon) pra conhecer uma banda local que era famosa por ter um grande guitarrista. Eram os Jetsons, e o guitarrista, Luis Vagner.
-Na década de 80, no festival de Jazz de Nice, subiu no palco pra dar canja com o BB King. Quem emprestou a guitarra foi o Jonhn Skotfield, guitarrista da banda de Miles Davis.
-Tem a carteirinha Nº1 do Clube do Balanço, e participou ativamente do Projeto desde o início.

Download: Luis Vagner - Guitarreiro - 1976

2 comentários:

Cristina Vaz disse...

Meu Deus !!!!!nem acredite quando vi esse disco pra eu poder ouvir imensas vezes.Luiz Vagner Dutra Lopes é meu amigo, meu irmão e um grande cara mesmo.
Moro atyualmente em Portugal e num lace de procurar pelo nome dele dei de car com esse grande presente de natal
Obrigada
Beijinhos sempre

300 Discos Importantes disse...

Bacana ... Por acaso você não teria o disco "Simples" do Luis Vagner? Estou procurando, mas não consigo achar em lugar nenhum. É um dos 300 discos importantes da música brasileira http://300discos.blogspot.com/ , número 165 , mas está entrando na lista dos que não tenho. Obrigado,