quinta-feira, 25 de outubro de 2007

Marambaia



Recomendo
Existe um disco do Milton Nascimento que se chama "Geraes" e nele uma musica: Circo Marimbondo. Marambaia vem de um verso dessa musica, aliás, seu refrão: "Circo Marimbondo, Circo Marambaia, se eu te der um tombo, tomara que caia..." Essa palavra chamou minha atenção desde a primeira vez por sua sonoridade, antes de tudo o som! As palavras e seus sons! No Dicionário, encontramos Marambaia como gíria da marinha brasileira, que indica marinheiro namorador, que se esquece de voltar para o barco. Escravo do coração! Pra quem é de Brasília, Marambaia é o nome de bar (direção sul, 311) e no bar é que as alegrias se extravasam e essa alegria que faz com que as pessoas se aproximem. Nós precisamos disso. Acima de tudo, alegria! Também, é verdade que Marambaia é bairro em Belém do Pará. Atravessamos o país do cerrado á mata amazônica para desembocar em pororoca de pratos e tambores de bandolins e guitarras elétricas. O Brasil musical não tem fronteira! Recentemente chegou a informação de que Marambaia é a denominação de mulheres quilombolas (negras descendentes dos habitantes dos quilombolas que se formaram em uma região chamada Restinga da Marambaia, ao sul do estado do Rio de Janeiro). Batuque Ginga, luta, capoeira. Esse é o fundo negro de nossa harmonia. O Brasil musical tem todas as cores! Para nós Marambaia é a cor e o sentimento de nosso som. A música é a nossa verdade. Antes de mais nada, Marambaia é liberdade!
Texto extraído do encarte deste cd.
Download: Marambaia

3 comentários:

Huntersirad disse...

E ai Velhinho blz? Atualizei o blo e coloquei um link pro teu site lá, ja que vc não tinha um eu apenas peguei a capa do disco do tony tornado e coloquei como atalho pro teu blog da uma olhada lá valeu? Fui

felipe disse...

Só pra constar. Existe a Restinga da Marambaia sim, mas ela não fica ao sul do Estado do RJ, ela fica dentro da cidade o RJ, na zona oeste...
Abraços!

KISA disse...

Amei seu blog, quero dizer que amo esse lugar maravilhoso MARAMBAIA, morei lá nove anos. Foi uma infância dos sonhos que se eternizou...
Abraços, quem sabe a gente se vê por aí.
Cristiane Pinto - KISA