terça-feira, 27 de novembro de 2007

Joao Gilberto - Amoroso - 1977



Ouve um grande Bafafá sobre os cem melhores discos do Brasil, e como nós do musica da minha gente fazendo pesquisas sobre tal assunto resolvi agraciar vocês com estes discos tambem, mas com uma diferença, todos os links estao funcionando, e outra coisa, postarei somente os discos que realmente fizeram diferença pra musica brasileira, entao,
deleitem-se!

56° Lugar -
Joao Gilberto - Amoroso - 1977

João Gilberto grava o disco considerado o seu melhor trabalho
A estada de João Gilberto nos EUA não rendeu apenas o multiplatinado disco com Stan Getz. Lá ele gravou também Amoroso, álbum que ainda hoje é considerado o seu maior trabalho. O repertório é formado apenas por oito canções, nenhuma delas inédita. A interpretação de João Gilberto é preciosa e extremamente perfeccionista em Wave (Tom Jobim), 'S Wonderful (George e Ira Gershwin) e Zingaro (Chico Buarque e Tom Jobim). Aliás, tão perfeccionista que ele achou excessivo o show de cordas do maestro americano Claus Ogerman.
João Gilberto do Prado Pereira de Oliveira nasceu em Juazeiro, interior da Bahia, e residiu durante algum tempo em Salvador, onde trabalhou como crooner.
Em 1949, mudou-se para o Rio de Janeiro, onde integrou o conjunto vocal "Garotos da Lua", que fazia apresentações na rádio Tupi. João Gilberto também freqüentava a boate Plaza, reduto do cantor Johnny Alf. Demitido do grupo "Garotos da Lua", por seus hábitos estranhos e seus atrasos freqüentes, João Gilberto passou um período difícil em meados dos anos 1950, sendo socorrido por amigos.
Em 1958, acompanhou Elisete Cardoso na gravação de um LP, que incluía a canção Chega de Saudade, considerada o marco inicial da bossa nova. A voz doce aliada à uma original batida rítmica chamaram a atenção do público.
João Gilberto gravou em seguida um disco 78 rotações com a mesma canção e depois um outro disco que incluía "Desafinado". No ano seguinte, lançou seu primeiro LP (long play), chamado "Chega de Saudade", com arranjos de Tom Jobim, que logo se tornou um grande sucesso.
Em curto espaço de tempo, João Gilberto gravou mais três LPs. A criteriosa escolha do repertório, com compositores como Tom Jobim e Dorival Caymmi, e a interpretação originalíssima das canções deram um destaque sem precedentes a João Gilberto. Logo adquiriu a reputação de genial criador de uma nova forma de compor.
No começo dos anos 1960, com a explosão mundial da bossa nova, João Gilberto transferiu-se para Nova York. Apresentou-se no Carnegie Hall, com grande repercussão, e realizou uma grande quantidade de shows nos Estados Unidos. Em 1964, a gravadora Verve lançou o disco "Stan Getz", com participação de João Gilberto. O disco vendeu mais de um milhão de cópias e ganhou seis prêmios Grammy.
Nos Estados Unidos, João Gilberto gravou muitos discos, alguns lançados concomitantemente no Brasil. Gravou, entre outros, "João Gilberto", "White Álbum" e "Amoroso".
Residiu depois por dois anos no México, onde gravou "João Gilberto en Mexico", um disco de boleros, lançado em 1971. Voltou ao Brasil em 1981, fixando-se no Rio de Janeiro. Fez amizade com grandes figuras da música popular brasileira, como Caetano Veloso, Maria Bethânia, Gilberto Gil e Chico Buarque. Gravou mais alguns álbuns no Brasil, como "João Gilberto Prado Pereira de Oliveira" e "Eu sei que vou te amar". Em 2000, o compositor lançou o CD "João, Voz e Violão".
Suas raras aparições públicas são disputadíssimas e sua vida pessoal continua cercada de mitos. João Gilberto ainda cultiva a mesma fama de perfeccionista, excêntrico, esquisito e genial.

Download: Joao Gilberto - Amoroso - 1977

3 comentários:

Julia disse...

Na noite desta terça-feira (27), o violonista, produtor, arranjador e agora cantor paulistano Walmir Borges reuniu familiares, amigos e muita gente famosa pra prestigiar seu primeiro trabalho como cantor, um DVD que deve ser lançado em 2008.

Walmir, que já trabalhou com nomes consagrados da MPB, neste projeto pôde contar com algumas participações ilustres como Wilson Simoninha, Max de Castro, Paula Lima e Rappin Hood, além do parceiro e primo Bradock.



O DVD, ainda sem título definido, que está recheado de muito romantismo, groove e MPB da melhor qualidade, promete lançar grandes hits pra 2008 como A Novidade, canção em parceria com Rappin Hood que fala sobre as glórias e conquistas do povo da periferia e Casinha de Sapê, uma composição falando de amor ao melhor estilo soul.

Saiba mais sobre Walmir Borges:
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=18586431

Yerblues disse...

É brincadeira fazer um comentário como o da nossa colega blogger num post seminal como Amoroso. Na web há espaço pra todos, mas há que se ter um mínimo de senso e noção para aproveitá-lo. Na minha opinião, este espaço é pra se falar desse disco magistral e agradecer a postagem do mesmo, e não pra fazer propaganda de outro artista, por melhor que ele seja. Quanto ao disco, só mesmo João pra achar os arranjos do Claus excessivos. A versão de Caminhos Cruzados é divina. Obrigado pelo post.

Juliana de Sousa disse...

Ainda não ouvi o disco do João inteiro. Mas, emparte ele já é tão íntimo...Parece que tá falando com a gente, sobre amor, dores e sobre a nossa vida. Dando conselhos, sabe...Ai essa vozinha. É aconhchegante ouvir o João Gilberto.
Valeu pelo post.