sábado, 5 de dezembro de 2009



Download: Expo-Som 73 – Ao vivo - Márcia - Leny Andrade - Simone - Ary Vilela

Mais um pedido feito e atendido em nosso Blog, nosso amigo Monjardim pediu a repostagem de Bruxelles da Simone e tambem mais dois discos, eis aqui a primazia desta nossa excelente cantora, Simone, fiquem na Paz!

A cantora Simone nasceu em Salvador, capital da Bahia, no Natal de 1949. Era, por essa razão, para ser batizada como Natalina, mas o nome Simone Bittencourt de Oliveira prevaleceu na decisão final. Os médicos da família disseram que a recém-nascida teria uma característica comum às demais mulheres da família: baixa estatura – declaração que caiu por terra durante a adolescência. Filha de um cantor de ópera e de uma pianista, Simone cresceu acostumada com a música.
Em 1965, aos 16 anos, mudou-se de Salvador para São Paulo com os pais. Na capital paulista, estudou música e começou a praticar esportes. Destacou-se no basquete, integrando seleções brasileiras em competições oficiais. Assim mesmo, Simone jamais se considerou uma grande jogadora. Nas concentrações, antes dos jogos importantes, gostava mesmo era de tocar violão. As demais atletas adoravam as cantorias da companheira.
Aos 24 anos foi levada por Moacir Machado para um teste na Odeon. Fez tanto sucesso no teste que assinou contrato com a gravadora e lançou, em 1972, “Simone” seu primeiro LP. Em outubro de 1973, convidada por Hermínio Bello de Carvalho, viajou para Bélgica e França com o espetáculo “Panorama Brasileiro”. Mal havia regressado, a Madison Square (produtora norte-americana) contratou-a para mais uma turnê - de três meses - do espetáculo, dessa vez para Canadá e EUA. No mesmo ano lançou, com os sambistas Roberto Ribeiro e João de Aquino, o LP “Brasil–Export 73 Agô Kelofé” e participou das faixas “Nem Eu”, “Coqueiro de Itapoan/João Valentão” e “Fechei a Porta” do LP “Expo-Som 73 – Ao vivo”.
“Quatro Paredes”, o segundo LP solo, lançado em 1974, colocou dois sucessos nas paradas: “Bodas de Prata” e “De Frente pro Crime”, da dupla João Bosco e Aldir Blanc.
O ano seguinte, 1975, seria o ano de “Gota d’água”. O disco alcançou altos índices de vendagem e resultou num show até hoje lembrado como um dos melhores já feitos pela cantora. Os versos de Chico Buarque na música “Gota d’água” ganharam mais força na interpretação de Simone e de Milton Nascimento, seu convidado.
“Face a Face”, “Cigarra” e “Pedaços” foram os discos que se sucederam. O disco “Pedaços” deu origem ao show do mesmo nome, dirigido por Flávio Rangel, e visto em todo o Brasil por mais de 120.000 pessoas. Foi com músicas românticas que Simone realmente se destacou, “Começar de Novo” de Ivan Lins, por exemplo, foi a música responsável por sua ascensão.
Em 1980, regravou com explosivo sucesso “Pra Não Dizer que Não Falei das Flores”, de Geraldo Vandré, canção que durante muitos anos esteve censurada pela política repressiva que o país vivia.
A baiana tem muito do que se orgulhar, afinal antes dela, em 1981, com o show “Amar”, jamais uma cantora havia lotado, sozinha, o Maracanãzinho. Uma platéia diária de 15.000 pessoas assistiu, em 1982, no Estádio do Morumbi, o “Canta Brasil”, espetáculo que contou com a participação da cantora.
A média de um disco por ano continuou e vieram, respectivamente, “Delírios e Delícias”, “Desejos”, “Cristal”, “Amor e Paixão”, “Vício”, “Sedução”, “Simone Tudo por Amor”, “Liberdade”, “Raio de luz”, “Simone” (espanhol), “Sou Eu”, “La Distancia” (espanhol), “Simone Bittencourt de Oliveira”, “Dois Enamorados” (espanhol) e “25 de Dezembro”.
Um CD só com músicas de Martinho da Vila, “Café com Leite” dava início, em 1996, a projetos pessoais, como, por exemplo, o espetáculo “Brasil”, que foi montado no Metropolitan, no Rio de Janeiro, com direção de José Possi Neto, em que Simone interpretava canções de Ari Barroso, Dorival Caymmi, Gonzaguinha e outros, ou ainda, o CD “Loca”, lançado simultaneamente no Brasil e no exterior em 1998, o show “Fica Comigo Esta Noite”, dirigido por Ney Matogrosso, com figurinos de Ocimar Versolato em 2000, e finalmente os CDs “Seda Pura” de 2001 e “Feminino” de 2002, onde pôde viajar na obra de diversos compositores brasileiros.
Apesar de todo o sucesso, a relação com a crítica especializada nem sempre foi amistosa. No entanto, com o espaço conquistado, Simone é considerada uma estrela da MPB e brilhou na turnê do álbum “Baiana da Gema” de 2004, que reunia composições de Ivan Lins.
“Simone ao Vivo” foi lançado em CD e DVD em 2005, com algumas músicas já consagradas na carreira da cantora e participação de Ivan Lins, Milton Nascimento e Zélia Duncan.

Saravá!!!
Daniel de Mello e a Música da Minha Gente

2 comentários:

JackRamon disse...

Hello,

Just a quick word to let you know that you are featured in our blogroll on Radio.Video.Jazz

Please check our site. If you like our work, do link back to us.

If you feel like contributing, let us know.

A lot of thanks.

The Radio.Video.Jazz Team

PS : you can also check our other website Radio.Video.Trad

tsiwari disse...

Simone é grande!!!!!!!!

Das maiores da mpb....


;)